Carioca grita quando a onda passa

As praias cariocas estavam lotadas. Era gente que não acabava mais. E não só do Rio, mas também de São Paulo, Belo Horizonte, Minas Gerais e mais um bocadinho de habitantes das outras cidades. Além de brasileiros, uma quantidade significativa de turistas estrangeiros que vieram aproveitar o carnaval não só brasileiro, mas também, o carnaval carioca, diga-se de passagem, um dos melhores do Brasil.

 

Era mais um dia de sol, praia e matte com limão. Avistei uma cena, no mínimo muito engraçada. As ondas da praia de Ipanema estavam bem tranquilas. Parecia as famosas praias de tombo, muito apreciadas com as do litoral norte de São Paulo. Devido a um “problema” da falta de linearidade nas areias, e por isso, com medo de a cada passo no mar não desse mais pé em questão de segundos, os banhistas formavam dentro do mar, uma fila única na horizontal. Todos estavam lado a lado, aproveitando as ondas que passavam e as águas gelada do RJ.

 

Como se fosse um código, sem que ninguém o tivesse criado ou passado adiante, mas que as pessoas o reconheciam, depois de alguns minutos no mar, a cada onde grande, que pudesse quebrar, exatamente na linha humana do mar, as pessoas gritavam e todos se preparavam, ou para tomar um banho de onda, ou para “pegar um jacaré”, ou simplesmente, para mergulhar por debaixo dela.

 

E foi assim a tarde toda. Não cheguei a gritar junto com a multidão, mas a cada som que ouvia a meu redor, meu coração já me preparava para a onda que passava.



Escrito por re.renata às 12h10
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]





Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, de 20 a 25 anos


Histórico
Votação
Dê uma nota para meu blog


Outros sites
VALE O INGRESSO
bLoG do Mercúrio Cromo
Comendo a bola
E quem é que Sabe
transmissionsfromalonelyroom
Blog do Tas
Blog do Ale